Localização
Guarda (Distrito)
Investimento
4.000.000 €
2019

Remediação Ambiental na Área Mineira de Mortórios

Em curso

A antiga mina de  urânio de Mortórios foi explorada a  céu aberto, por degraus de 3 m de altura e taludes com inclinação próxima dos 60º. Atingiu-se uma profundidade média de 40 m e um comprimento de 200 m. A corta resultante da exploração, apresenta uma estabilidade relativa e está parcialmente inundada de água de proveniência maioritariamente pluvial. Não houve recurso a qualquer tipo de processo de lixiviação.

Existiu uma única escombreira de estéreis de grandes dimensões, tendo grande parte dela já sido removida, uma vez que esteve instalada no local uma instalação de britagem que utilizou estes materiais como inertes, para fins vários. O remanescente da escombreira está subdividido genericamente por três granulometrias principais: fina, brita e blocos. A escombreira maior ainda se eleva a cerca de 20 m do solo, constituindo perigo de derrocada.

A instalação de britagem, hoje desativada, utilizou a água do céu aberto para a lavagem das areias, fazendo-a recircular novamente para o céu aberto para decantação das lamas. Neste processo, o fundo do céu aberto subiu cerca de 11 m, situando-se atualmente nos 25m.

Em 2019, será dado início à empreitada de recuperação ambiental desta antiga área mineira.

A solução de recuperação corresponde à concentração de todos os escombros e outros materiais na zona da corta, utilizando a depressão existente, que será devidamente impermeabilizada, com recurso a barreiras de impermeabilização naturais e artificiais, tanto no fundo e taludes como na selagem final.

Ao redor da corta devidamente modelada, será instalado um sistema de drenagem para interseção das águas pluviais drenadas das áreas exteriores e condução à linha de água e reduzindo simultaneamente os riscos de erosão superficial.

Toda a área mineira será devidamente modelada e recuperada ambientalmente, tal como a linha de água, de forma a promover a sua integração no ambiente natural envolvente.

Para além de estar projetado um sistema de controlo e monitorização ambiental, a intervenção conclui-se com a beneficiação / criação de um acesso rodoviário na zona da corta, a integração paisagística de toda a área mineira e a sua vedação.

Esta solução de confinamento, para além de minimizar os principais riscos existentes, segue os princípios gerais preconizados para os aterros de resíduos, conforme Decreto-Lei nº 183/2009, de 10 de agosto.

O investimento realizado é co-financiado pelo Fundo de Coesão e irá permitir resolver os passivos ambientais resultantes da exploração mineira neste local, trazendo benefícios para as populações locais, através da melhoria das condições atuais e utilização das áreas recuperadas para outros usos.

  • Corta a céu aberto

  • Corta a céu aberto e escombreiras

  • Sinalização das escombreiras

  • Escombreiras