Localização
Sabugal (Concelho)
Investimento
2.699.573,90 €
2011 - 2013

Remediação Ambiental na Área Mineira da Bica

Concluídos

A antiga área mineira da Bica situa-se junto à localidade de Quarta-Feira, freguesia de Sortelha, concelho de Sabugal e distrito da Guarda.

A mina iniciou a sua atividade de exploração subterrânea em 1951 e até 1961 (fase da C.P.R.), tendo sido abertos dois poços mestres e galerias de traçagem com 300 m ao longo do filão e até ao 7º piso, dando-se início ao desmonte, o qual durou até 1977. A partir de 1977 (fase da JEN/ENU), efetuou-se o afundamento do poço 1 até ao 8º piso (profundidade 250 m), com desmonte do 8º piso e preparação da mina para a lixiviação dos velhos desmontes. A lixiviação in situ dos desmontes a partir da superfície, processou-se com a injeção de soluções ácidas através de furos e chaminés com ligação às galerias dos pisos inferiores e recolha de licores no 8º piso. Na fase final, deixou-se inundar a mina, passando a bombagem de licores a ser realizada a partir do 5º e 6º pisos. A produção própria desta mina estimou-se em cerca de 132.000 ton de minérios com teores médios de 0,20% de U3O8, que produziram 265.900 Kg de U3O8. A partir de 1977, implementou-se a lixiviação estática em eiras, do minério pobre da Bica e das minas próximas (Pedreiros e Carrasca). Em 1988, recebe os lixiviados ácidos da Fábrica do Barracão e os minérios ricos aí existentes mas não processados.

A empreitada de remediação ambiental da antiga área mineira da Bica, a qual incluiu as áreas mineiras anexas de Vale d’Arca, Pedreiros, Carrasca e Coitos, consistiu nas seguintes atividades principais:

  • Concentração e selagem das fontes poluidoras em termos químicos e radiológicos, reduzindo-se a presença e dispersão dos elementos contaminantes;
  • Assegurar a segurança e melhoria da qualidade de vida das populações;
  • Modelação dos terrenos e saneamento de escombreiras ou o seu tratamento com solos adequados, proporcionando a redução dos riscos por contaminação e propiciando o desenvolvimento da vegetação;
  • Repovoamento por comunidades florísticas e faunísticas autóctones;
  • Restabelecimento de cursos de água anteriormente afetados e a reposição da qualidade da água que drena para estes cursos de água;
  • Limpeza e tratamento das áreas contaminadas, possibilitando-se o uso do solo em condições adequadas;
  • Criação de elementos delimitadores e dissuasores de contacto com áreas de risco em termos de perigo para pessoas e animais (poços e/ou bocas da mina e outros pontos de contacto com as galerias).

Esta empreitada foi adjudicada ao consórcio Socopul – Sociedade de Construções e Obras S.A. / MT3 – Engenharia e Obras, Lda. por 2.194.775,53 € e teve a duração de 540 dias.

O investimento realizado foi co-financiado pelo Fundo de Coesão e permitiu o tratamento adequado das águas de mina que exsurjem a partir da galeria do Poço Mestre nº 2, reduzindo assim os níveis radiométricos e evitando a percolação de águas superficiais nos materiais de escombreira e a subsequente dispersão hidráulica da contaminação para áreas limítrofes.

povt-qren-uev3
  • Companhia Portuguesa de Rádio

  • Obras em curso

  • Aspeto final da escombreira