Localização
Tábua (Concelho)
Investimento
2.107.626,55 €
2007 - 2008

Remediação Ambiental da Área Mineira do Vale da Abrutiga

Concluídos

A antiga área mineira de Vale da Abrutiga situa-se na freguesia de Ázere, no concelho de Tábua e distrito de Coimbra. Localmente, a mina situa-se numa encosta de declive acentuado para SW, junto da Albufeira da Barragem da Agueira, variando as cotas, no local da mina, entre os 200 m e os 120 m nas margens da Albufeira. Sobre este local, não se fazem sentir pressões demográficas e agrícolas e a sua envolvente imediata encontra-se densamente florestada com eucalipto.

Os trabalhos mineiros consistiram na abertura de um céu aberto em degraus direitos de 3 metros de altura. Foram extraídos cerca de 83.695 ton de minérios com teor médio de 0,11% de U3O8, que produziram 94.903 Kg de U3O8. Este céu aberto tem uma área de 32.000 m2 e, em 2001, iniciaram-se os trabalhos de reposição ambiental (1ª fase) que consistiram em repôr dentro da corta do céu aberto, cerca de 180.000 ton de minério pobre, após tratamento (neutralização e precipitação de 226Ra) da água ácida acumulada no seu interior, evitando-se assim nova acumulação e acidificação de água no seu interior. O volume de escavação ainda disponível era de 484.000 m3. A mina foi vedada com arame e encontra-se devidamente sinalizada.

A intervenção nesta área mineira decorreu em duas fases, sendo que, numa primeira fase, entre janeiro de 2007 e abril de 2008, realizou-se o confinamento de todos os materiais de escombreira, mediante a sua remoção e deposição compactada na corta. A segunda fase da intervenção deu início em 3 de junho de 2008, tendo-se realizado o revestimento e drenagem da escombreira e a sua integração paisagística. Os trabalhos realizados compreenderam as seguintes atividades principais:

  • Escavação do minério pobre e colocação em aterro, onde se inclui a remoção, transporte e deposição com compactação na corta a céu-aberto da escombreira de minérios pobres, segundo uma sequência definida pela radioatividade dos materiais;
  • Escavação do material remanescente e colocação em aterro, que inclui a remoção, o transporte e a deposição com compactação na corta a céu-aberto do material remanescente, com níveis de radioatividade inferiores;
  • Revestimento, drenagem, estrada de acesso e recuperação paisagística, que engloba a execução do sistema final de cobertura, a instalação de rede de drenagem, a instalação de piezómetros de monitorização, a execução de estrada de acesso e os trabalhos de revegetação.

Esta obra foi adjudicada ao consórcio Tecnovia – Sociedade de Empreitadas, S.A. / LTO – Lavouras e Terraplenagens do Oeste, Lda. pelo valor de 2.107.626,55 € e teve a duração de 300 dias.

O investimento realizado foi co-financiado pelo Programa Operacional do Ambiente no âmbito do III Quadro Comunitário de Apoio, tendo permitido eliminar a instabilidade geotécnica dos taludes da escombreira, assim como os impactes visuais desta decorrentes, tratar adequadamente as drenagens superficiais ácidas que se verificavam e aumentar as condições de segurança para a circulação de pessoas e animais.

poa_ue
  • Céu aberto e Estação de neutralização

  • Céu aberto

  • Estação de neutralização

  • Parque de minérios pobres

  • Piezómetro existente no céu aberto

  • Equipamento de monitorização

  • Construção de bacias de retenção

  • Construção de sistema de drenagem

  • Construção de sistema de drenagem

  • Construção de sistema de drenagem

  • Movimentação de depósitos

  • Movimentação de depósitos

  • Vista geral da obra

  • Instalação de piezómetros

  • Integração paisagística

  • Nova ETAM

  • Vista aérea da área recuperada

  • Vista aérea da área recuperada