Localização
Tábua (Concelho)
Investimento
5.400.000 €
2017 - 2019

Recuperação Ambiental da Área Mineira de Mondego Sul

Em curso

A antiga área mineira de Mondego Sul situa-se no concelho de Tábua, distrito de Coimbra, junto à povoação de Ázere, numa encosta inserida na faixa de proteção da albufeira da Aguieira. A área mineira a recuperar localiza-se junto à antiga foz da Ribeira de São Simão, atualmente integrada no regolfo da albufeira da Aguieira.

Esta área mineira laborou entre 1987 e 1991, tendo sido exploradas 78.593 toneladas de minérios com teor médio de 0,095% que produziram 74.968 Kg de U3O8. Não se procederam nesta área a quaisquer operações de lixiviação. A exploração foi efetuada a céu aberto, existindo referências a cinco cortas a céu aberto, construídas em degraus direitos de 2 a 3 metros, com taludes variando entre os 45º a 60º. Estes cinco céus abertos inicialmente existentes foram posteriormente ampliados, acabando por vir a resultar em dois, dos quais apenas um subsiste, o “céu aberto II”. Este céu aberto tem uma profundidade aproximada de 30 metros, encontrando-se uma parte do seu talude Nordeste em derrocada. Os materiais retirados da exploração foram depositados em escombreiras, contabilizando-se 6 (seis) na zona envolvente ao céu aberto principal.

A maior escombreira (E6) situa-se a Nascente da corta e tem um volume aproximado de 550.000 m3 de material estéril. As restantes escombreiras somam um volume total aproximado de 30.000 m3 de material. As escombreiras em questão apresentam superficialmente valores de radiometria baixos a médios, sendo enquadráveis nas classes de materiais resultantes diretamente de operações de extração, sem qualquer tipo de processamento ou tratamento por lixiviação.

A intervenção a efetuar nesta área mineira consistirá na realização das seguintes atividades:

  • Desmatação e desarborização;
  • Estabilização dos taludes instáveis da corta;
  • Concentração dos materiais na escombreira principal;
  • Modelação da encosta, com criação de plataformas;
  • Manutenção de espelho de água;
  • Confinamento e selagem multicamada;
  • Sistemas de drenagem;
  • Caminhos pedonais na envolvente à corta e à escombreira principal;
  • Melhoramento do acesso principal;
  • Vedação periférica definitiva e portões de acesso;
  • Integração paisagística e monitorização e controlo das condições ambientais locais.

O investimento realizado é co-financiado pelo Fundo de Coesão e irá permitir resolver os passivos ambientais resultantes da exploração mineira neste local, trazendo benefícios para as populações locais, através da melhoria das condições atuais e utilização das áreas recuperadas para outros usos.

poseur_pt2020_ue
  • Corta a céu aberto em exploração (1990)

  • Escombreira de estéreis

  • Parque dos minérios ricos

  • Escorrências ácidas

  • Corta a céu aberto e albufeira

  • Vedação de segurança

  • Corta a céu aberto