29
Mai/17

EDM consignou a 1ª Fase das Obras de Recuperação das Minas de São Domingos

Notícias
| 29 Maio de 2017

A EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro, S.A. procedeu, no dia 26 de maio de 2017, à consignação da empreitada à empresa Conduril Engenharia, S.A., iniciando-se efetivamente a obra para a 1ª fase da recuperação ambiental da antiga área mineira de São Domingos, no concelho de Mértola, por 2,8 milhões de euros.

Financiamento do POSEUR em 85% das despesas elegíveis.

Esta obra tem um prazo de 14 meses e deverá ter a sua conclusão em 31/8/2018.

As obras da empreitada consistirão na execução de uma bacia de retenção e de um sistema de canais na margem direita, para desvio de águas da contaminação lixiviante, proporcionando assim uma decisiva diminuição do volume de águas ácidas. A intervenção permitirá ainda uma redução de descargas poluentes, nomeadamente para a barragem do Chança.

A intervenção global desta fase 1 engloba, além da empreitada, as seguintes ações:

  • Monitorização da qualidade das águas superficiais e subterrâneas;
  • Sondagens para recolha de amostras de solos, escombreiras e materiais contaminados;
  • Análises e ensaios laboratoriais de caracterização geoquímica das amostras de solos, escombreiras e materiais contaminados;
  • Controlo hidrológico e piezométrico e recolha de amostras respetivas;
  • Instalação de estação meteorológica;
  • Levantamentos topográficos;
  • Atualização do Plano Diretor;
  • Estudo de modelação de águas ácidas e de contaminação hidroquímica;
  • Ensaios de caraterização geotécnica de solos e escombreiras;
  • Fiscalizações técnicas especializadas de construção civil, ambiental, de segurança, e, de arqueologia.

O investimento global desta fase 1 ascende a cerca de 3,8 milhões de euros.

A intervenção da EDM – Empresa de Desenvolvimento Mineiro desenvolve-se ao abrigo do contrato de concessão com o Estado, em exclusivo, para a recuperação ambiental das áreas mineiras degradadas (DL 198-A/2001-6/7).

Além desta fase 1, seguir-se-ão outras 5 fases.

A área mineira de São Domingos, desativada em 1966, foi objeto de exploração de cobre e enxofre para produção de ácido sulfúrico, bem como de produtos secundários como o chumbo, níquel, cobalto, prata, cádmio, arsénio antimónio e estanho.