16
Jan/18

EDM avalia situação de “combustão lenta” na antiga mina de carvão do Pejão

Notícias
| 16 Janeiro de 2018

No dia 12 de janeiro de 2018, técnicos da EDM, com a presença do Presidente, Vice-Presidente e técnicos da Câmara de Castelo de Paiva, deslocaram-se à antiga área mineira do Pejão-Germunde, em Pedorido, de forma a avaliar a situação de combustão das antigas escombreiras que resultaram da exploração do carvão.

Esta situação iniciou-se na sequência dos violentos incêndios de 15 de outubro que assolaram grande parte do País e do Concelho de Castelo de Paiva, onde se terão propagado às antigas escombreiras destas antigas minas de carvão. Apesar da extinção dos incêndios, os materiais depositados nesta escombreira, com conteúdo em carvão, permaneceram em combustão.

Esta visita teve como principal objetivo fazer uma avaliação in loco da situação e ajudar na definição conjunta de medidas que se revelem necessárias para a sua resolução.

Em resultado desta visita, a EDM verificou que os focos de combustão se encontram limitados a materiais depositados em escombreiras, não existindo evidência de que se tenham propagado às jazidas de carvão que não foram exploradas no sub-solo.

A combustão lenta de materiais carboníferos depositados em escombreiras é responsável pela emissão dos gases de combustão do carvão que se tornaram mais intensos com as chuvas, em resultado do acréscimo de evaporação de água da precipitação em contacto com os focos de combustão.

Apesar de considerar que esta situação não representa no imediato um motivo para alarme para a população, a EDM esclarece que procedeu à colocação no local de uma estação de monitorização de qualidade do ar de forma a assegurar a medição de monóxido de carbono, óxidos de azoto, dióxido de enxofre e partículas no sentido de clarificar os impactes nas populações localizadas na envolvente.

Complementarmente, apesar de os focos de combustão se localizarem em terrenos privados a EDM procedeu à colocação de vedações provisórias nas áreas que não estavam vedadas de modo a garantir a segurança.

São medidas urgentes e necessárias para avaliar os efeitos nas populações dos “focos de combustão” e prevenir acidentes nas zonas afetadas, enquanto decorre o estudo da solução técnica para numa primeira fase proceder à extinção dos focos de combustão e posteriormente proceder aos ajustamentos necessários nas escombreiras no sentido de evitar novas ocorrências no futuro.